Uni, duni, tê, salamê, minguê...

Uni, duni, tê, salamê, minguê...
Materiais a partir de textos da tradição oral

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Clima de Copa do Mundo


BRASIL
Aproveitando a oportunidade e a motivação da Copa do Mundo, vou apresentar nesse post uma ideia de material e de atividades com as bandeiras e nomes dos países participantes da Copa do Mundo de 2010. Esse material foi proposto por Mariana Capinã Vitoriano da Silva, que está cursando o 5° semestre de Pedagogia na UFBA e fez uma oficina comigo agora em junho, no contexto da disciplina Alfabetização, ministrada pela professora Mary Arapiraca.
Mariana, que faz estágio como professora numa turma de EJA, aproveitou o interesse dos alunos por futebol para abordar o tema a partir de textos, curiosidades, informações e jogos. Para trabalhar a leitura e a reflexão sobre o sistema de escrita, Mariana propôs algumas atividades com as bandeiras dos países e seus respectivos nomes. As bandeiras dos países da Copa podem ser encontradas na Internet, basta copiar, colar no Word, escrever seus nomes em tamanho grande, com letras maiúsculas, de preferência, e imprimir. Ela fez Preguicinha com os nomes dos países escritos em fichas de papel e depois também pediu à turma para organizar os nomes dos países em ordem alfabética, montando um varal com as bandeiras e os nomes. Notem que para organizar em ordem alfabética, é preciso levar em conta não apenas as letras iniciais, mas também as seguintes, criando uma ótima situação contextualizada de aprendizagem de letras e da ordem alfabética. Ex. Como colocar Espanha, Eslovênia e Eslováquia em ordem alfabética? Essa é uma pergunta que vai gerar interessantes discussões e reflexões.
Atenção: a atividade foi originalmente desenvolvida em uma turma de EJA, mas pode também ser proposta numa turma de crianças. Pode-se introduzir as bandeiras aos poucos, à medida que forem acontecendo os jogos e as leituras e conversas sobre a Copa. Pode-se começar também pelos países mais conhecidos ou separados por continente. O tratamento vai depender da turma, da motivação, do interesse, dos conhecimentos que forem sendo partilhados.
Para quem não sabe, a Preguicinha é um nome que se dá àquela atividade interessante que se faz, geralmente, com nomes próprios, de cobrir a palavra com um papel e ir mostrando letra por letra, variando a letra mostrada – letra inicial, segunda letra, ou última letra, penúltima letra – para que os alunos tentem descobrir qual é a palavra escondida. A Preguicinha pode ser feita com outros universos de palavras, como personagens de uma história, animais estudados, lista de comidas do São João, ou seja, várias possibilidades, inclusive com os países da Copa. Antes os alunos devem saber que países são esses, para lembrar das possibilidades de palavras que tem naquele universo. Ex. Se não sabem que Eslováquia é um nome de país participante da Copa, como vão poder sugerir esse nome ao verem a letra E seguida da letra S?
A Preguicinha é uma atividade muito bacana, pois exige que os alunos considerem e analisem cada elemento por vez, cada letra, que comparem, antecipem, verifiquem, discutam possibilidades, pensem sobre as letras iniciais e finais das palavras, usem os conhecimentos que têm sobre letras e sons. É bacana principalmente quando há, nos universos de palavras possíveis (daquele campo lexical trabalhado), também palavras que se iniciam ou terminam pelas mesmas letras. Desse modo, quando as letras iniciais, segundas, finais coincidem, é preciso que os alunos busquem outros indícios, letras mais pelo meio da palavra, para descobrir a palavra escrita. Ex. Argélia/ Austrália/ Argentina; Espanha/ Eslovênia/ Eslováquia.
Se as bandeiras e os nomes dos países forem colados, separadamente, em papel mais grosso, tipo duplex, pode-se ainda propor outras tantas atividades, como colocar no centro da roda ou em mesas os pares (bandeiras e nomes) embaralhados para os alunos associarem as bandeiras dos países aos seus nomes. É um jogo que pode se chamar As Bandeiras e Seus Nomes. Para isso, evidentemente, precisam reconhecer as bandeiras ou a professora deve informar, oralmente, cada uma qual é. A ideia de explorar bastante as bandeiras antes, expor na sala, em varal ou na parede, junto com seus nomes, como fez Mariana, já favorece o reconhecimento de bandeiras de diferentes países. Mas na hora dessa atividade de associação da palavra com a figura, essa "pesca" não pode estar mais exposta, senão não precisa haver esforço de reconhecimento das palavras. O professor pode também distribuir apenas os nomes pelas mesas ou por cada aluno e mostrar à turma cada bandeira dizendo o nome do país correspondente. A mesa ou o aluno que estiver com a ficha com o nome do país, deve então mostrar.
Outra atividade interessante, que também fazemos muito com os nomes próprios, é o Trem de Palavras. Distribuem-se os nomes dos países entre os alunos e coloca-se uma ficha com um dos nomes no chão, essa é, naquele turno, a locomotiva que vai puxar os outros nomes. Ex. Brasil. Quem tiver uma palavra que tenha alguma característica semelhante à palavra Brasil, que está no centro, coloca ao lado, no trem. Ex. Portugal, pois termina com L, como Brasil. Quem segue colocando a próxima palavra deve considerar a palavra Portugal, não mais Brasil. Ex. Paraguai, pois começa com a mesma letra P. E assim por diante... Terminado o trem (alguns países podem ficar de fora ou também é possível ver onde eles poderiam se encaixar no trem), começa-se outro, outro turno, com uma nova palavra como locomotiva.
O professor pode solicitar que cada aluno justifique a escolha da palavra incluída no trem ou que os outros colegas digam o critério que uniu as duas palavras em cada jogada. Pode também ir provocando os alunos a considerarem, aos poucos, diversos critérios: letra final, letra inicial, segunda letra, letra do meio, número de letras, número de sílabas, presença de determinada letra (ex. Brasil e Chile: ambas têm a letra I), presença de determinada sílaba, nome composto, presença de acentuação etc. Levar os alunos a considerarem sempre critérios formais, não semânticos.
Uma variante do trem é o jogo Pares de Palavras, que é interessante também com nomes próprios. Coloca-se as fichas com os nomes (próprios ou dos países ou outro universo qualquer de palavras) embaralhadas, viradas para baixo, de modo que os nomes não sejam vistos. Cada aluno, no seu turno, desvira duas palavras aleatoriamente e tenta encontrar, entre elas, alguma característica comum às duas (critérios diversos, como os apresentados acima, para o trem). Todos podem ajudar, caso o aluno não encontre. Se realmente não houver algum critério que as unem, o jogador pode virar as cartas e desvirar mais duas, ou virar apenas uma das duas e desvirar mais uma. Pode-se também propor que tentem reconhecer, ler, as duas palavras que escolheram, cada jogador ou a turma toda ajudando. Prefiro o jogo pelo jogo, sem ter quem ganhe ou quem perca.
Enfim, muitas outras atividades podem se desdobrar. Invente a sua! Se inventar, mande para a gente pelo blog, para socializarmos outras possibilidades.
E vamos torcer também, né, gente?!
Agradeço a você, Mariana, por sua contribuição.
Lica

12 comentários:

  1. Poxa, pena que esse post não veio um pouco antes...mas ainda dá para aproveitar, a não ser que o Brasil não passe dessa fase, né? Mas vai passar! Senão, desanimados, não vai rolar...
    Mas bem que você disse isso, professora...Você é danada! Uma vez que compreendemos a "coisa", é só adaptar a ideia a diversas situações. Você nos disse isso tanto!!! Como não pensei em fazer isso também?
    Parabéns a Mariana também.
    Leila

    ResponderExcluir
  2. Isso, Leila! E realmente insisto nisso, para provocar vocês, para que vocês possam lembrar, de sempre inventar também.
    Entendendo a ideia, as concepções, os desafios a propor aos alunos, a perspectiva de reflexão sobre a escrita, o princípio do brincar e pensar...podemos inventar muitas coisas...e, como disse você, "adaptar a diversas situações".
    Beijos,
    Lica

    ResponderExcluir
  3. Lica vim conhecer seu blog e achei o máximo aqui podemos ter muitas ideias e imaginar outras é mesmo uma coceira é só começar, muito bom. Voltarei sempre.
    Fátima Correia - Aluna Pedagogia FACED

    ResponderExcluir
  4. Oi Lica, falar de futebol no país do futebol é oportunidade riquíssima, que não se pode deixar passar despercebido.
    Quero agradecer pela oportunidade de mostrar esta contribuição que deu certo e ja estou elaborando a adaptação que vc havia me sugerido com o nome dos países e suas respectivas bandeiras.
    Ate mais!!!
    Mariana

    ResponderExcluir
  5. Que bom, Fátima,
    Que nos cocemos muuuuuuuuito de imaginação...
    Volte sempre,
    Beijos,
    Lica

    ResponderExcluir
  6. Oi, Mariana,
    Agradeço a você pela contribuição. Sempre estou querendo agregar as ideias das alunas, colegas de trabalho, amigas, seja de atividades, seja de materiais, de textos, de solução estética ou funcional...Uma rica troca, como são as oficinas.
    É bom isso também da as alunas poderem trocar essas ideias via blog. Muitas já me falaram que gostaram de nossas (suas e minhas) sugestões para a Copa. Tem umas tímidas (viu, meninas?!!!) que em vez de comentar no blog, escrevem e-mails ou me contam nos corredores...
    Mas eu logo as denuncio aqui!
    Valeu, Mariana!
    Beijos,
    LIca

    ResponderExcluir
  7. Lica querida, isso aqui ta bão demais!!!!

    Adorei a sugestão! Muito legal esse material para copa sugerido por Mariana. Já estou colocando a mão na massa. Minha maletinha está sendo usada com meus pequenos viu. Tá até precisando de uma renovação... Tô pescando daqui que não sou boba. A garotada adora!
    beijão
    Angela Carmina

    ResponderExcluir
  8. Oi, Angela, querida!
    É tão bom saber que vocês usam os materiais com as crianças! E também de saber que têm vontade de atualizar o acervo, me dá vontade de colocar a mão na massa também.
    Já tem coisas que vocês não fizeram, vamos trocando ideias...
    Mariana está contente de vê-las aproveitando a proposta que ela fez com a turma dela.
    Beijo grande,
    Lica

    ResponderExcluir
  9. Olá,sou Etiane adorei a oficina.Como adquirir o
    módulo de oficinas? Bjs

    ResponderExcluir
  10. Oi, Etiane,
    Por ora, o único jeito é participando da oficina ao vivo. A graça toda está mesmo em fazer junto, aprender com o fazer, ganhar o know how tateando, experimentando, trocando ideias com os outros...é desse jeito que sei. E que gosto.
    Mas considerando os que se interessam, mas não podem vir a Salvador, vou pensar um jeito de ainda disponibilizar algum material, tá?
    Mas fique atenta e veja que algumas dicas já permitem a confecção de vários materiais apresentados no blog...
    Abçs,
    Lica

    ResponderExcluir
  11. Adorei super Lica!! No ritmo que estamos aqui em casa, com álbum de figurinhas da copa e Marina a todo vapor nas suas lindas aventuras de ler e escrever..acho que eu mesma vou botar a mão na massa por aqui, aproveitar e propor umas brincadeiras com essas ótimas ideias ! Beijocas nossas e obrigada!

    ResponderExcluir
  12. Que bom, Nanoca!!!
    Vou aproveitar e postar novamente no Face!
    Aproveitem mesmo!!!
    Beijos nas duas!
    Lica

    ResponderExcluir