Uni, duni, tê, salamê, minguê...

Uni, duni, tê, salamê, minguê...
Materiais a partir de textos da tradição oral

sábado, 13 de novembro de 2010

Proibido para Maiores

Olá, gente!
Minha dica de livro hoje, também dica de material, é o livro Proibido para Maiores, de Denise Rochael, da Editora Formato.

Não é propriamente um abecedário, mas, de certo modo, pode fazer as vezes de, continuando nossa conversa sobre isso. É que os bichinhos aparecem em ordem alfabética, como um pequeno dicionário de bichinhos pequeninos. E para cada bichinho, um pequeno poema. Poemas que falam, de forma lúdica, poética e bem-humorada, de cada um deles. Por vezes tem mais de um bichinho por letra. Falo bichinho porque são bichinhos mesmo...

Nesse livro só entra bicho pequeno, bicho grande não tem vez!
São bichinhos de jardim, bichinhos de todo tipo, alguns mais conhecidos, como abelha, minhoca, mariposa, caracol, outros nem tanto, como o escaravelho e o medepalmos. Há alguns que nadam, como os girinos e o cavalo-marinho, outros que rastejam, como lesma, a minhoca, o caracol, outros que andam com pequenas patinhas, como joaninhas, formigas e carrapatos, e ainda aqueles voam, como a borboleta e a libélula.
Ótimos poemas para brincar, para dizer, para inspirar novos poemas, de outros bichos, ou dos mesmos.
A dica de material para trabalhar em alfabetização, é fazer cartelas com as figuras e cartela com os nomes dos bichinhos, outras com o nome deles em letra de imprensa e outra com a letra inicial de seus nomes.
Para a ficha da letra P teríamos então o PERNILONGO e o PIOLHO, escritos em carletas diferentes, mais as cartelas com suas figuras e outras com os poemas correspondentes.
Teríamos material para trabalhar com crianças em diferentes níveis de conceitualização da escrita.
As crianças podem apenas identificar a letra inicial do animal da figura ou do seu nome, pode tentar identificar as palavras (nomes deles) a partir de diversos indícios, e até tentar ler os textos, identificando qual texto corresponde à figura, seja identificando a partir do nome do personagem escrito nos poemas, seja pela leitura de todo o texto. Se há crianças com certo domínio da leitura autônoma, podemos apresentar as cartelas com os poemas com o nome do bichinho apagado, para elas descobrirem a que animal pertence pelo texto, não pelo nome dele escrito no texto.
São várias as formas de brincar, todas dependendo de explorarem bem o livro antes, sua poesia, seu tema, fruir, brincar, conversar, pesquisar, criar novos poemas ou listas de outros animais etc.
Comparar as palavras que começam com a mesma letra, vendo outras semelhanças e diferenças, é bem interessante para começar a trabalhar com a leitura e escrita das palavras.
Outra coisa legal é fazer a atividade do trem de nomes, conforme já explicado no post sobre os países da Copa do Mundo.
É isso, por ora, é o que pensei... mas vou continuar pensando...
Inté,
Lica
P.S. Vejam no comentário de Ana a esse post outras ótimas dicas de trabalho a partir desse livro!

9 comentários:

  1. Lica,
    Preciso de uma indicação de livro de histórias de terror para meus alunos do primeiro ano, que agora já chegando aos sete, já não se encantam com as fadas madrinhas.

    PGurgel

    ResponderExcluir
  2. Oi, PG,
    Repare, não sei se é exatamente isso que vc quer, mas tem um de que gosto muito, do Ernani Ssó, que chama Contos de Morte Morrida, da série Narrativas do Folclore, da Companhia das Letrinhas. A morte aparece mais de modo engraçado que propriamente amedrontador. Mas não deixa de ter seu "estranho", seu umheimlich! Ela é personificada, com capa preta e gadanha, sempre pronta a levar alguém que faz tudo para enganá-la. Muito bom! São contos cheios de astúcia, tratos, e humor (os outros da série também são legais, são desde contos de animais, de gigantes, etc, até esses mais "medrosos"). Um deles chama Com mil Diabos, e traz contos de diabo, coisa-ruim e por aí vai...outro chama Castelos e Fantasmas, sempre de Ernani Ssó e da mesma coleção. O autor reconta contos da tradição popular, inventa outros, e os escreve de um modo bem bacana. Eu indicaria esses.

    Nesse mesmo espírito tem também o de Ricardo Azevedo, Contos de Enganar a Morte, da Ática.

    Tem um outro, de vários autores e gêneros, chamado Livro dos Medos, da Companhia das Letrinhas, mas esse eu nunca li. Não sei te dizer...
    Por ora é o que sei...
    Espero que ajude,
    Bjs,
    Lica

    ResponderExcluir
  3. Ah! E vá lendo e sentindo a reação deles...pois eles querem essas coisas, adoram, pedem, mas também ficam bem impressionados. Um medinho gostoso, é verdade, mas sempre tem os mais impressionáveis.
    Lá na escola tiveram uns, de segundo ano, que ficaram meses atormentados com a loira do banheiro, a mulher de branco e outras "lendas urbanas" há uns anos atrás. Lemos um tanto de outros contos mais jocosos, como esses, para rir e amenizar...
    No fim, mesmo com os apelos da Tv e etc, são os mistérios da leitura!!! Impressiona.
    Bom, mas isso você sabe mais que eu...
    Tente os de Ernani Ssó.
    Bjs,
    Lica

    ResponderExcluir
  4. Obrigado, Lica. Lá vou eu atrás do Ernani Ssó e do Ricardo Azevedo. Ler é uma forma de escapar da morte, pelo menos da morte matada...

    ResponderExcluir
  5. Com certeza!!!
    E vocês irão gostar desses.
    Podem ser até ser fichinha perto do terror da vida real que assola a infância de algumas crianças, já que estão mais para risíveis.
    Mas certamente ajudam a enfrentar, na fantasia, os terrores do dia a dia.
    Rir esgueirado de certas mazelas, também, dizem, é um santo remédio!
    Lica

    ResponderExcluir
  6. Lica, visitei e continuarei visitando seu blog, sinto grande emoção quando uma criança
    descobri a leitura e vi coisas aqui que encurtarão este caminho. Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. A dica desse livro foi realmente ótima! Dá pra ter outras ideias interessantes como montar um álbum de figurinhas, explorar as rimas, pesquisar com as crianças textos informativos sobre os bichos, os sons que os bichos fazem e até criar o livro do contrário: Proibido para menores, criando versos de animais grandes escolhidos pela turma!
    Além disso, o trabalho pode ser feito não apenas pelo primeiro ano, mas com qualquer classe, pois todo o trabalho visa a reflexão sobre a língua.
    Muito grata pela dica, Lica.
    Continue com este trabalho que certamente está gerando frutos.
    Ana

    ResponderExcluir
  8. Oi, Mídias e Educação (na falta do nome...),
    Obrigada por sua participação.
    Continue mesmo visitando, sempre que dá, posto uma coisinha,
    Lica

    ResponderExcluir
  9. Oi, Ana,
    Quantas boas ideias!!!
    É isso mesmo, dá para fazer muito mais coisas, é só inventar, como sempre digo. E gosto justamente de ver isso, o que eu sugiri puxando outras tantas coisas.
    Continue contribuindo,viu? Essa troca me move a continuar.
    Um abraço,
    Lica

    ResponderExcluir