Uni, duni, tê, salamê, minguê...

Uni, duni, tê, salamê, minguê...
Materiais a partir de textos da tradição oral

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Mafalda

Oi, gente,
Vou postar aqui hoje um joguinho que não é específico para alfabetização, mas que fiz, de qualquer modo, no espírito da aprendizagem da leitura. E vou dizer porquê.

Esse joguinho da Mafalda fiz para minha enteada muito querida, que faz 7 anos esse mês e está, desde o ano passado, mergulhada nas delícias da leitura e da escrita autônoma. Como eu quando era menina, ela também adora Mafalda. Seu aniversário, inclusive, teve a Mafalda como tema.

Mafalda tem a ver com alfabetização, escola, leitura, por muitos motivos sim. Vamos a eles. Em primeiro lugar, dentre as instituições a que Mafalda direciona suas críticas bem humoradas, está a escola e o modo de ensinar a ler. Mafalda fala de letramento, ao seu modo, antes de muito teórico do letramento e da alfabetização! De verdade!

Por isso mesmo, e isso é em segundo lugar, uso muitas de suas tirinhas em minhas aulas e oficinas, como muitos de vocês sabem. Tem uma até nesse blog. E de todos os livros, o que mais uso é o "Mafalda aprende a ler", embora eu goste de muitos outros. De todos. De toda Mafalda. Sempre fui fã decarteirinha dela, desde criança.

Por fim, Dodó, minha enteada, pegou gosto por essa menininha sabida desde os primeiros tateamentos na leitura, e logo me identifiquei. Mais um motivo para provar que Mafalda e leitura tem tudo a ver! Então, mais que justificado esse post, apesar do material não ser direcionado à reflexão sobre o sistema de escrita.

Ah! Outro bom motivo é que fiz esse joguinho para ela, pois sempre que vem ficar conosco, adora brincar com meus outros joguinhos, esses sim, de alfabetização, leitura e escrita. E eu já havia prometido lhe dar um. Dito isto, acho que posso então mostrar aqui o joguinho que fiz pra ela - e só pra ela - né?

Previ duas possibilidades de jogo, mas podemos bem inventar outras tantas... Pensei em usá-lo como memória e como jogo do Mico, chamei os dois jogos de Memória da Mafalda e Mafalda paga Mico. As regrinhas vão na caixa, pequeninas como as cartas, conforme podem ver ao lado. A carta "I love Mafalda" faz as vezes de mico.

O jogo ficou bem lindinho, plastifiquei na gráfica, que fica mais grossinha e elegante. Um luxo! E juro, nem eu o tenho! Só ela! Fiquei só com as fotos...

É isso, gente. Espero que gostem e aceitem os meus argumentos para esse joguinho estar aqui nesse blog. E viva Mafalda! Vão lá ver na Toda Mafalda os seus ensinamentos e provocações sobre a escola e o ensino da leitura e escrita. E ler muito!!! Recomendo!

Inté,
Lica

12 comentários:

  1. Que fofo, Lica! Ela deve ter gostado muito.
    Lindo mesmo. A caixinha ficou um luxo!
    Você mandou plastificar de um em um? Não é muito caro?
    bjs,
    Cris

    ResponderExcluir
  2. Eu amei! Está um luxo!!!! Pena que eu não me chame Dodó! Rsrsrsrsrsrs...
    Eu tenho um livro grande e grosso que é uma coletânea com todas as tiras da Mafalda!!!
    É 10!!!!
    Mafalda realmente já falava em letramento antes de muitos marmanjos por aí! Só por isso já vale sua aparição por aqui! Se Madalena Freire visse diria: "Nutrição estética!"
    Também estava com saudades das novidades!
    Bjs,
    Ana

    ResponderExcluir
  3. Oi, meninas,
    Que bom que gostaram. A Mafalda é dez, sim. O livro é o Toda Mafalda, não é Ana?
    O bom da coleção que os livros são avulsos é que as tirinhas são coloridas.
    Não, Cris, não foram plastificados de um em um, senão ficaria caro mesmo. Eles plastificam numa folha grande e depois você mesma tem que cortar cuidadosamente, com tesoura ou estilete. Não experimentei com aquele equipamento que corta papel, não sei se dá.
    Bom, novidade virão, é que estou enrolada com minha pesquisa de campo para o doutorado.
    Beijos queridas,
    Lica

    ResponderExcluir
  4. Isso mesmo!!! Toda Mafalda. Fui até procurá-lo. Realmente as imagens não são coloridas. Vou selecionar algumas tiras para meus alunos lerem.
    bjs
    ana

    ResponderExcluir
  5. Poxa! Tá lindo mesmo.
    Sou fã da Mafalda e adorei esse jogo.
    Super bem feito.
    Parabéns, Lica!
    Leilane

    ResponderExcluir
  6. Oi, Leilane,
    Só outra fã de Mafalda para julgar se o jogo está bacana mesmo. Se você achou, então eu acredito.
    Obrigada,
    Lica

    ResponderExcluir
  7. Ola Lica, parabens pelo lindo blog.
    Cheguei por aqui em busca de informacao sobre alfabetizacao, e achei interessantissima a sua abordagem ludica.
    Tenho uma filhinha de dois anos, cuja lingua principal no momento eh o ingles - moramos em Londres. Tenho um cuidado grande de manter o portugues vivo na cabecinha dela, que esta se desenvolvendo tao rapido. Me parece que a leitura eh uma boa porta de entrada, ja que ela ama livros, inclusive tem varios da colecao mico maneco que vc menciona em um dos seus posts.
    Nao tenho nenhuma formacao em pedagogia ou educacao, entao queria saber se vc tem alguma indicacao de literatura para leigos, do tipo "por onde (e quando) comecar a alfabetizacao", para que eu possa me preparar para esse processo.
    Desde ja te agradeco enormemente a atencao.
    Abraco,
    Isabel

    ResponderExcluir
  8. Oi, Isabel,
    Obrigada! Bom saber que as ideias do blog chegaram tao longe!
    Sabe, morei em Londres quando pequena, com dez e onze anos, e me deu uma saudade lendo seu comentario... Assim como me deu saudade tambem de quando morei em Paris, ja adulta, e trabalhei com crianças franco-brasileiras ou brasileiras la.
    Alias, por isso mesmo, entendo sua preocupaçao... Como voce mesma suspeita, alem de conversar, ler muito para sua filha eh um modo fundamental de tornar viva para ela a lingua portuguesa e a cultura brasileira. Pense tambem, especialmente, em tornar presentes para ela os textos da tradiçao oral como parlendas, trava-linguas, cantigas, que favorecem o mergulho da criança na linguagem, na sonoridade da lingua, na sua cultura. Propiciar esse rico repertorio me parece importante linguisticamente e culturalmente para quem esta longe de casa ou de uma de suas casas.
    Posso te mandar algo sobre isso, dar algumas dicas, se voce quiser. Me escreva um e-mail:(oficinasdealfabetizacao@hotmail.com).
    Acho isso o fundamental.
    O trabalho que fiz em Paris, junto com uma amiga, foi justo esse, de oferecer um espaço para as crianças falarem portugues, brincarem de brincadeiras brasileiras, cantarem, participarem de jogos orais, tudo em portugues! Era muito bacana, importante para as familias e as crianças. Um cantinho de Brasil.
    Com a idade que sua filha tem, acho que eh com isso que voce tem que se preocupar por ora, com esse repertorio, com o "letramento", mais do que com a alfabetizaçao propriamente.
    Tambem posso te indicar alguma leitura sobre isso, como a entrevista de Magda Soares, intitulada "Letrar eh mais que alfabetizar". Voce acha facil na internet.
    E isso, Isabel. Continue participando quando puder, mande noticias e pode perguntar o que quiser, ta?
    Um abraço pra voce e pra essa terrinha ai que ja foi um pouco minha tambem...
    Lica
    P.S. Estou tb sem acentos nesse computador...

    ResponderExcluir
  9. Oi, adorei os seus matérias!Sou estudante do curso de pedagogiae e em uma semana terei que apresentar uma atividade lúdica (atividades, jogos, músicas, parlendas, trava-línguas, projeto pedagógicos) para crianças, jovens, adultos e idosos para apresentar na feira junina de alfabetização. O foco principal é alfabetização e letramentos.você poderia ta me indicando alguma atividade para que eu possa apresentar.

    ResponderExcluir
  10. Oi,
    Como ja te respondi por e-mail, creio que ja tem muitas indicaçoes possiveis no blog. Pense so em adaptar o texto usado como fonte da atividade para as faixas etarias em questao. Os procedimentos para provocar as reflexoes sobre o sistema de escrita sao semelhantes, o que vai variar eh o proprio texto.

    Voce pode mostrar modos de explorar o texto escolhido, como texto mesmo, e depois propor lacunados, ordenaçao de fatiados, palavras cruzadas ou caça palavras com palavras do texto, enfim, sao muitas as possibilidades.

    Importante eh que tudo isso seja antecedido de uma exploraçao oral do texto, cantar, brincar, explorar os sons, etc. E adaptar o texto ao publico.

    Acho que eh isso que posso orientar. Maos aa obra!
    Lica

    P.S. Continuo sem meu computador e sem acentos neste outro...

    ResponderExcluir
  11. Pâmela de Andrade7 de novembro de 2011 08:18

    Meu nome é Pâmela de Andrade, curso o 8º semestre de Jornalismo no Centro Universitário FIEO, em São Paulo. Estou fazendo um livro sobre a Mafalda (para o TCC) e, ao pesquisar acerca da influência da personagem na formação crítica dos leitores, me deparei com seu blog – e com sua paixão por ela.

    Confesso que gostei muito do seu trabalho e gostaria de entrevistá-la – mesmo que seja por email.

    Enviei algumas perguntas ao correio eletrônico disponibilizado na lateral do blog. Espero que você possa me ajudar.

    De qualquer forma, muito obrigada desde já e parabéns pelo blog.


    Pâmela de Andrade

    ResponderExcluir
  12. Oi, Pâmela,
    Só hoje vi seu post aqui...
    Ainda bem que você escreveu por email e conversamos...
    Aguardo notícias do trabalho, viu?
    Um abraço,
    Lica

    ResponderExcluir